[Resenha] Felicidade não tem cor e o dia 20 de novembro.

12:15


Oi galera, tudo bem? Hoje é dia 20 de novembro, dia da Consciência Negra e para não quebrar a tradição desse blog resolvi abordar esse assunto indicando um livro.
Felicidade não tem cor foi escrito por Julio Emílio Brás um dos primeiros autores a abordar a questão étnico-racial em livros didáticos (pois sim, esse é um livro didático) e  mesmo autor de Pretinha, eu? cujo livro têm resenha aqui no blog.

Bom, quando comecei a pesquisar resumos e resenhas desse livro encontrei várias que diziam que o mesmo era sobre preconceito ou bulliyng mas a real é que esse livro é sobre ra-cis-mo e se essa palavra incomoda tanto combata, lute contra ao invés de tampar o sol com a peneira.
Enfim, o livro é narrado pela boneca de pano Maria Mariô, que vive no fundo de uma caixa de brinquedos da turma infantil , sendo constantemente rejeitada pela maioria das crianças que preferem as bonecas brancas e loiras, exceto por Fael, um garoto que gosta de conversar com a boneca. 


Fael desabafa sobre todos os apelidos que recebe dos outros garotos e sobre todas as brincadeiras de mal gosto para Maria Mariô, que se surpreende quando o garoto revela que seu objetivo é se tornar branco, para que assim tudo isso acabe. Juntos Fael e Maria Mariô (muito contrariada) vão a procura da receita que possa fazer com que o garoto alcance tal objetivo.


Eu adoro o jeito do Julio Emílio escrever sobre coisas sérias de maneiras simples que é o que podemos observar nesse livro com a boneca Maria Mariô, que é constantemente rejeitada por não ser a boneca padrão, não ser o ideal construído na cabeça daquelas crianças. Além disso ele coloca em pauta outros tipos de preconceito causados por uma construção social não muito inclusiva, por isso,apesar de ser um livro didático, recomendo para todos.
Enfim é isso obrigada, não deixe de comentar, seguir o blog e as redes sociais e compartilhar. 





You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Curta a fanpage

Instagram Images